ATAQUE SENSACIONAL MANTÉM O TIME DE HÜTTELDORF RECUADO

Autores dos gols: Daka (30., 64., 70.), Adeyemi (90.+2); Schuster (90.+1), Kara (90.+4)

Com 25 tentativas de finalização contra o Rapid Viena, nossa equipe garantiu um dia de trabalho extremamente estressante para Strebinger e seus companheiros. No final das contas, o placar final de 4-2, com 4 assistências do Berisha e 3 gols do Daka, até enaltece os vienenses.

O jogo

Devido à uma aparente lesão no adutor durante o aquecimento, Noah Okafor teve que ceder seu lugar na escalação inicial à Brenden Aaronson, que tirou proveito da oportunidade e se colocou no centro das atenções:O americano fez bonito na grande área, passando a bola para Rasmus Kristensen, que já logo no início do jogo testou o goleiro vienense com uma cabeçada, porém infelizmente sem sucesso. Poucos momentos depois, Aaronson fez o passe para Berisha, forçando Strebinger a se jogar pra poder defender.

Durante a primeira etapa do jogo, os Vienenses lentamente foram se encontrando nesse clássico. Ullmann tentou voleio de fora da grande área, o que teria sido um ótimo candidato para o gol do mês, porém a tentativa, relativamente inofensiva, foi bola fácil para Cican Stankovic defender. Logo depois, o time do Kühbauer deu praticamente seu último sinal de vida nesta partida: Ritzmaier atravessou nossa defesa, fez o passe para o atacante Fountas - o grego mandou a bola pra dentro do gol. Felizmente, o atacante estava impedido por poucos centímetros.

Somente 95 segundos depois, o jogo começou do outro lado do campo. Aaronson driblou o adversário e tocou para Berisha, que fez a assistência para Patson Daka. O nosso camisa 20 puxou o gatilho sorrindo e abriu o placar aos trinta minutos do primeiro tempo! O choque para o adversário não parou por aí. Tanto a tentativa de curta distância do Enock Mwepu quanta a de cavadinha do Daka ameaçaram terminar o primeiro tempo com uma vantagem ainda maior.

O segundo tempo mal tinha começado e a partida na Arena Red Bull já estava a mil. Daka se infiltrou na defesa adversária e fez um passe para Berisha, que acertou o travessão. Berisha logo depois partiu para o ataque de novo e passou para Enock, que, no entanto, não ganhou o duelo contra o goleiro Strebinger.

Com os vienenses na defensiva, a nossa equipa mandou ver. O zagueiro Stojkovic deu tudo para impedir o chute de Daka, evitando um segundo gol. Poucos momentos depois, não foi mais evitável: Berisha assistiu, e Daka sacudiu a rede uma segunda vez aos 19 minutos do segundo tempo! Aos 25 minutos o técnico Jesse vibrou novamente com uma cópia dessa triangulação perfeita: Aaronson passou para Berisha, que cruzou para Daka - TRÊS A ZERO!

No ato final, o jogo de volta da UEFA Europa League contra o Villarreal não foi esquecido. Jesse Marsch decidiu fazer substituições para poupar os jogadores e, os novatos no campo tiveram uma prorrogação agitada: Barac assistiu e Schuster finalizou de cabeça, marcando o primeiro gol para Rapid nesta partida. Logo depois, Karim Adeyemi estava perfeitamente posicionado e, com mais uma assistência de Berisha, marcou o quarto gol para Salzburg. O último gol foi marcado por Kara, que, aos 4 minutos da prorrogação, venceu dois Red Bulls e finalizou: 2 a 4.

Depoimentos

Jesse Marsch

Uma partida que dominamos do começo ao fim! Nós entendemos claramente a meta de hoje. Se tivéssemos sido um pouco mais eficientes, poderíamos ter marcado ainda mais gols. Não foi uma semana fácil pois estávamos decepcionados com o nosso resultado contra o Villarreal, mas essa vitória mostra quem realmente somos!

Escalação

Substituições

saiu Daka e entrou Adeyemi (28’ do 2T), saiu Junuzovic e entrou Susic (28’ do 2T), saiu Mwepu e entrou Seiwald (28’ do 2T), saiu Kristensen e entrou Farkas (33’ do 2T), saiu Ulmer e entrou Solet (33’ do 2T)

Cartões amarelos

Daka (3’ do 1T/Falta)

Desfalques

Bernardo (lesão), Wöber (lesão), Okafur (lesão no adutor), Koita e Camara (suspensão por doping)